A REVERÊNCIA COMEÇA NO LUGAR DO LOUVOR

Ninguém nega que reverência é devida, por direito, ao Deus todo poderoso. Entretanto, como Ele pode ser devidamente reconhecido e adorado, se as pessoas O têm substituído por um deus feito por elas mesmas – um deus muito menor? Hoje muitos cristãos evangélicos têm remodelado a Deus, transformando-O em um ser apenas um pouco maior do que eles mesmos. Ele já não é mais o infinito, o poderoso, o santo Deus, que vê e sonda todos os corações. É meramente um camarada ou um colega, que compartilha de nossa pequenez e trivialidade e aprecia nossa cultura alicerçada em entretenimento. Ele não deve mais ser temido, nem reverenciado.
Diante deste novo Deus, Moisés não precisaria tirar as sandálias, nem o apóstolo João cair como morto aos pés dEle. Este novo Deus não se importa com a maneira pela qual O adoramos; por isso, não precisamos sentir qualquer inibição ou nos arrependermos de qualquer coisa que façamos na sua presença. No entanto, “mudar” a Deus é o mesmo que negá-Lo e insultá-Lo. Então, onde está a reverência em nossos dias?

Por Peter Masters, adaptação para o blog: rev. Ronaldo P. Mendes