A ONIPRESENÇA DE DEUS

“Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também; se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá.” (Salmo 139.7-10)

A palavra “onipresença” deriva de dois vocábulos latinos, “omnis” que significa “tudo”, e “praesum”, que significa “estar próximo ou presente”. Este atributo divino é definido como: “Deus não tem tamanho nem dimensões espaciais e está presente em cada ponto do espaço com todo o seu Ser; Ele, porém, age de modo diferente em lugares diferentes”.

Onipresença descreve a característica da infinidade de Deus que faz com que ele tenha a sua presença plena em cada parte do espaço. No texto básico, o salmista está dizendo que Deus pode ser encontrado em toda parte sem que ele esteja parcialmente em cada parte. Deus enche cada parte do espaço com a plenitude da sua presença. Não há como fugir da sua presença total. Ninguém escapa de sua infinita presença. Onipresença significa que Deus, na totalidade de sua essência, sem difusão, ou expansão, multiplicação ou divisão, penetra e ocupa o universo em todas as suas partes (como visto no texto básico).

O ser humano não pode escapar da presença de Deus: “Acaso, sou Deus apenas de perto, diz o SENHOR, e não também de longe? Ocultar-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja? — diz o SENHOR; porventura, não encho eu os céus e a terra? — diz o SENHOR.” (Jeremias 23.23-24) – Ninguém pode se esconder dele.

Diferente da matéria ou dos anjos, Deus não está mais presente em um lugar do que o outro – Ele não está em todos os lugares por parte, mas ele enche todo o espaço com a plenitude do seu ser.

1) Diferentes modos da presença de Deus

1.1 – Deus está presente na natureza de modo diferente de sua presença nos homens – O Cuidado que Deus tem com a natureza é diferente do cuidado que ele tem com o ser humano, porque a natureza de ambos é diferente.
1.2 – Deus está presente no crente de um modo diferente do que está nos outros seres humanos – O modo de sua habitação é diferente. “Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada.” (João 14.23)
1.3 – Deus está presente no céu (cf Mateus 6.9) de maneira diferente de sua presença no templo de Israel no tabernáculo (Salmo 76.2; Habacuque 2.20) – O Tabernáculo era apenas uma amostra muito pequena de sua gloriosa presença no céu. No céu veremos quão diferente é a sua glória em comparação a presença no templo.

2) A presença de Deus pode ser benévola (bondade) ou sem benevolência

2.1 – Presença sem benevolência – Esta presença se revela na vida daqueles que não tem Jesus. Deus está presente na vida dos ímpios refreando os seus pecados, enquanto eles vivem nesta presente condição. Esta presença traz o julgamento, pois estão entregues as suas paixões (cf Romanos 1.24). A presença de Deus está também na morte deles quando são lançados no inferno, e causa-lhes dor como prova de sua presença em justiça.
2.2 – Presença com benevolência – Dividi-se assim como segue:
1 – Na providência – Deus está presente com todas as suas criaturas porque ele as criou e as preserva: “A tua justiça é como as montanhas de Deus; os teus juízos, como um abismo profundo. Tu, SENHOR, preservas os homens e os animais.” (Salmo 36.6). Ninguém pode escapar desse cuidado (Atos 17.28).
2 – Na Salvação – Deus está presente com o seu povo de maneira especial, regenerando e dando-lhes a vida “…Tu, SENHOR, Deus dos Exércitos, és o Deus de Israel;…”(Salmo 59.5).
3 –Na Santificão – Deus está presente na santificação do seu povo (Êxodo 31.13; Josué 7.13) – O Senhor santifica o seu povo.
4 – Na Glorificação – Essa presença é somente para os eleitos quando o virem (Jesus) face a face no céu (Cf Mateus 25.34).

Conclusão e aplicação: Que maravilha é conhecer um pouco sobre a onipresença divina. A presença de Deus nos mostra que servimos ao único Deus soberano e verdadeiro. Devemos rejeitar o pensamento de que Deus está no céu e só o seu Espírito aqui na terra. Quando se diz que “Deus habita nos céu” (Salmo 123.1; 113.5), deve se entender como linguagem simbólica ou como exaltação acima de todas as coisas. O céu não pode conter a Deus (cf 1Reis 8.27).

Para o ímpio (aquele que não tem Jesus) é terrível a idéia de não poder fugir da presença de Deus, ele sonda os corações (cf Hebreus 4.13). Todos os ímpios vão prestar contas ao onipresente Deus. Deus está presente no mais secreto de seus corações: “Os olhos do SENHOR estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons.” (Provérbios 15.3).

Para os crentes – A onipresença nos conforta nos momentos de tentações, assim como estava com Jesus (cf João 16.32), Deus está conosco. A onipresença de Deus nos conforta nos momentos de terríveis aflições (Isaías 43.2). A presença de Deus nos conforta na hora de adoração (Isaías 57.15). Você tem consciência da presença de Deus? Quando for pecar pense nisso. Jesus demonstrou a sua onipresença como a de Deus: “…E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” (Mateus 28.20)

Autor do estudo: Rev. Ronaldo P.Mendes

Bibliografia pesquisada: Teologia Sistemática -Louis Berkhof (Ed,cultura Cristã); O Ser de Deus – Heber Carlos de Campos (Ed. Cultura Cristã), Augustus H.Strong – Teologia Sistemática (Ed. Teológica)