sábado, 24 de setembro de 2016

SANTIDADE, UMA NECESSIDADE

Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.” (1Pedro 1.14-16, cf Levítico 20.7).
O que é santidade? Para definirmos santidade, precisamos vê-la em Deus. O próprio Deus diz: “Eu sou Santo”. A palavra hebraica “qadosh” significa “separado”, mais literalmente “separado do uso comum”. Todas as coisas que foram separadas para um uso exclusivo de Deus são consideradas santas. Por exemplo: as vestes sacerdotais eram santas (Ex 28.2), o lugar especifico para a preparação do sacrifício era santo (Ex 29.31), os vasos usados no templo eram santos (1Rs 8.4), etc. Tudo o que era usado de um modo específico para Deus era considerado santo. Porém esses objetos separados para uso exclusivo de Deus, não deveriam servir como amuleto, ou alguma forma de trazer a santificação ao homem, somente Deus santifica.
            Deus é separado de modo diferente desses objetos, Ele é separado no sentido moral (não se mistura com o pecado). O Senhor é separado do pecado e dedica-se a buscar a Sua própria honra.
A santidade majestosa de Deus
Ó SENHOR, quem é como tu entre os deuses? Quem é como tu, glorificado em santidade, terrível em feitos gloriosos, que operas maravilhas?”(Êx 15.11).Ninguém pode ser santo como Ele é, pois ninguém está acima e além das criaturas. Deus é majestoso e glorioso em Sua santidade (Is 57.15) – Esta santidade é proclamada pelos seres celestiais (Is 6.3; Ap 4.8).  Assim como Deus é bom, assim somente Ele é santo (1 Sm 2.2) – Deus não somente é santo, Ele é santidade. Deus é livre de qualquer contaminação moral (Jó 34.10; Hc 1.13), e as Suas leis refletem quem Ele é moralmente (cf, Ex 20)
Diferença entre a santidade em Deus e nos homens  
Em Deus é uma qualidade essencial; nos homens é uma qualidade adquirida derivada. Em Deus a santidade é uma qualidade imutável, porque ela é parte da Sua essência, não pode ser separada dEle. Deus é o mesmo sempre: “Porque eu, o SENHOR, não mudo…” (Ml 3.6). Assim sendo, a nossa santidade deve ser buscada todos os dias. Nós vivemos em épocas em que a moralidade e a ética não recebem as devidas importâncias. Falar de santidade não está “na moda”, é “antigo”. Para alguns, santidade em relacionamentos e na vida pessoal é algo absurdo.
A santidade do homem é uma ordem de Deus (Lv 19.2, 1Pe 1.16b)
            A ideia de santidade aqui é de afastamento do mal, do pecado para uma vida consagrada a Deus.  É parte da nova vida em Cristo, da Nova Aliança (cf Hb 12.14; 2Co 7.1) .  A igreja precisa crescer em santidade, pois é o santuário de Deus: “no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor” (Ef 2.21; 5.26-27).
            A santidade de Deus determina o conceito de adoração (Hb 10.22). O adorador deve se adaptar ao adorado. No serviço ao Senhor devemos nos oferecer com santo procedimento: “… sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor; porque o nosso Deus é fogo consumidor.” (Hb 12.28b-29) – O termo “sirvamos” pode ser traduzido por “cultuemos”. Portanto, em nosso “serviço” (culto) devemos fazer com temor e tremor. Deus quer que sejamos santos para Ele e não seguir o nosso coração enganoso  (cf Jr 17.9)
            Alguns resultados alcançados ao santificarmos nossa vida
Veremos as “maravilhas” de Deus –Santificai-vos, porque amanhã o SENHOR fará maravilhas no meio de vós.”(Js 3.5) – A palavra “maravilhas” também pode ser traduzida como milagre, é usada no contexto das pragas do Egito (cf Êx 3.20). Assim a santificação é um requisito para o milagre.
Veremos a Deus -  “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor,” (Hb 12.14)  – O que seria “ver” o Senhor?  Aqui é de estar com Deus. Aquele que não é santo, não verá o Senhor. Ex: Alguém diz ser santo, mas vive uma vida em pecado. Sem arrependimento, esse com certeza não estará com Deus, em sintonia com Ele. Deus é santo, e aquele que não santifica sua vida não O verá aqui no mundo (através de Suas maravilhas), e nem na glória eterna (em Cristo).
O inimigo será derrotado (Js 7.13)  - Acã foi desobediente a Josué e pegou os despojos de guerra de Jericó. A consequência de seu pecado foi a derrota de Israel em Aí. Apedrejaram-no com toda a sua família no vale Acor e os queimaram com suas propriedades (Js 7). “Há coisas condenadas no vosso meio…”.
Quando vivemos uma vida santa, longe da contaminação do mundo no coração, recebemos mais de Deus. Muitos pensam que para recebermos de Deus é preciso “determinar” a Ele. Mas não é assim que a Bíblia nos mostra. Ela nos ensina a viver uma vida livre de conceitos mundanos e pecados para recebermos mais de Deus. A falta de santidade desagrada a Deus e traz Sua mão pesada sobre nós dia e noite (cf Sl 32).
 Alguns exemplos de Santificação que devemos cultivar     
Ler a Bíblia e orar – Crente que não lê a Bíblia não vai se santificar, pois não conhecerá a vontade de Deus e não se fortalecerá contra as ciladas do diabo (cf Ef 6.11-15). A vida de oração não é esporádica, mas constante com súplicas (v.18).   
Envolver-se nas atividades da igreja (Hb 10.25) - Muitas pessoas pensam que a igreja é um lugar de desordem, sai a hora que quer, faz o que quer, participa das atividades quando quer. Será que isso é agradável a Deus? Participar das atividades da igreja não é opção, faz parte de santificarmos a nossa vida.
Não profanar aquilo que é sagrado - No NT temos o exemplo da Igreja em Corinto. Entre outras coisas, a igreja tinha esquecido o verdadeiro sentido da Ceia do Senhor (cf 1 Co 11.28-31) – Estavam profanando o momento sagrado, “muitos tinham dormido”, em outras palavras, “tinham morrido” (cf S.Kistemaker) por causa da negligência. Devemos tomar cuidado para não banalizarmos aquilo que é sagrado. Se queremos santificar nossa vida, o caminho é temer a Deus e respeitar o culto.
Cuidado com a língua e com as palavras torpes (Ef 4.29, Tg 1.26) – Se não controlar a língua, você não se tornará santo. Crente fofoqueiro causa destruição na família, aos amigos e igreja. Cuidado também com sentimentos pecaminosos (Rm 1.28-32) – Se você conserva em seu coração sentimentos como malícia, avareza, maldade, inveja, contendas, soberba etc., sua vida não está santificada ao Senhor.  
               Amar mais o Reino de Deus do que o “mundo” - “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele;” (1Jo 2.15, ) – O mundo aqui é o mundo ímpio em pecado. Não vamos jamais santificar nossa vida a Deus se o amor ao mundo estiver reinando em nosso coração. Apego a bens materiais nos afasta do Senhor: “Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores.” (1Tm 6.10) – Muitas vezes somos tentados a colocar o desejo de ficarmos ricos em primeiro plano, mas quando não acontece vem as frustrações. Primeiramente precisamos confiar em Deus e esperar nEle (Sl 40).
Testemunhar o amor de Deus - De acordo com as Escrituras, ser testemunha é anunciar ao mundo as obras de Cristo. Mostrar que Cristo é o Caminho. E foi para isso que Deus nos chamou: “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;”(1Pe 2.9) – Deus nos chamou com um propósito: “sermos santos”. Deus nunca usou material profano, tudo na igreja é consagrado a Ele. O crente não é diferente, ele é um instrumento nas mãos de Deus para a Sua glória.  
Precisamos cultivar a santidade em nossa vida. Não pertencemos mais ao mundo ou aos nossos desejos. Agora somos de Cristo. Assim afirmou Paulo: “logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.” (Gl 2.20). Isso é santidade e sem ela, ninguém verá o Senhor. 
Conclusão: Deus é santo. Assim sendo, o seu povo também deve ser santo. Se nós queremos andar na contramão, ou Ele nos lançará fora, ou vamos sofrer as consequências do nosso erro, mas jamais o Senhor permitirá instrumentos contaminados (sem arrependimento) para levar Sua mensagem de salvação ao mundo. Que Deus nos ajude a sermos santos como Ele é!   

Por Rev. Ronaldo P. Mendes 


Você tem permissão para divulgar e distribuir todas as postagens deste blog, desde que não altere o formato, conteúdo e/ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução. Em caso de dúvida, entre em contato com o autor do blog (rev.ronaldo@hotmail.com).